Home arrow Endocrinologia arrow Diabetes arrow Perguntas e respostas sobre Diabetes
Perguntas e respostas sobre Diabetes Imprimir E-mail
22 de agosto de 2007
1: Quais tipos de alimentos o diabético (tipo 2) deve ingerir para controlar os sintomas da doença?


R: O Diabetes é uma doença crônica que requer atendimento nutricional desde o momento em que é feito o diagnóstico. O planejamento alimentar, preferencialmente individualizado, constitui o ponto fundamental para o tratamento do diabetes. A alimentação deve ser fracionada em três refeições principais, a cada 3 ou 4 horas, deve-se incluir um pequeno lanche, como um uma fruta ou uma barra de cereais, evitando-se assim, longos períodos de jejum.
Deve-se incluir nas refeições principais os três grupos de alimentos:
ENERGÉTICOS: carboidratos preferencialmente integrais (arroz, ou massas, ou pão, ou batata); CONSTRUTORES (carnes ou ovos ou leite e derivados); REGULADORES ( verduras, legumes e frutas); abusar de fibras solúveis em água encontradas em: aveia, bagaço de laranja, casca de frutas como maçã e goiaba. Estas podem reduzir a taxa de glicose no sangue.


2: Quais alimentos devem ser evitados?


R: Deve-se evitar: mel, açúcar mascavo, melado, doces em geral, refrigerantes tradicionais e bebidas alcoólicas. Use adoçantes artificiais no lugar de açúcar.
Para prevenir complicações cardiovasculares, devido às patologias associadas ao diabetes (hipertensão arterial, dislipidemias, etc.),evite o consumo de alimentos ricos em gordura saturada, trans, colesterol e sódio, como: frituras, carnes gordurosas, laticínios integrais e produtos industrializados (bolacha, salgadinho de pacote, chocolate, etc.). Alguns alimentos como quibe, hambúrguer, almôndegas, podem ser preparados no forno, ao invés de fritos. Evite Salgadinhos, tanto os de pacotes como os tradicionais (coxinha, empadinha, risoles e outros), pois contêm muita gordura.


3: Qual a diferença entre produtos diet e light? Qual dos dois é o mais indicado para a dieta do diabético?


R: Os produtos diet são isentos de algum nutriente (glicose, sódio, gordura, etc.), e são desenvolvidos especialmente para aquelas pessoas que apresentam a necessidade de restringir um nutriente específico da alimentação, devido a alguma patologia. Vale salientar que apenas por ser diet, um produto esteja liberado para o diabetes, pois pode conter açúcar e terem dele retirado somente o colesterol. Por exemplo, pessoas com diabetes devem ter restrição no consumo de açúcar, já pessoas com hipertensão arterial devem evitar o consumo de sódio. Cuidado com os produtos dietéticos! Embora eles não contenham açúcar, muitos contêm muita gordura, portanto são muito calóricos. Para que o diabético possa fazer uso de alimento dietético, obrigatoriamente deve vir assinalado na embalagem que o mesmo “não contém açúcar",
Os alimentos light apresentam teor reduzido de pelo menos 25% nas calorias ou em algum nutriente (gordura, sódio, carboidrato, etc.), quando comparado ao produto tradicional.
 
Como exemplo de diferenças entre alimentos diet/light, pode-se citar o chocolate. Às vezes, os alimentos dietéticos engordam mais do que os originais. Os chocolates diet não contém açúcar, sendo recomendados para pessoas com Diabetes. Porém, para melhorar seu sabor, a indústria costuma colocar mais gordura no chocolate diet, o que pode deixar seu valor calórico igual ou até superior ao chocolate tradicional. Já o chocolate light apresenta teor reduzido, em pelo menos 25%, na quantidade de algum nutriente, geralmente gordura e carboidrato, e normalmente possui menos calorias comparado com o chocolate tradicional, sendo, portanto mais indicado para pessoas que desejam perder peso.

ATENÇÃO: produtos diet feitos para diabéticos não possuem açúcar adicionado ao alimento mas podem conter outros tipos de carboidratos naturais. Assim, mesmo não possuindo açúcar, o consumo de alimentos diet deve ser feito com moderação. A gordura do chocolate também atua no desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O chocolate por não ser um alimento de primeira necessidade, em alguma ocasião especial, pode-se ajustar a versão diet desse produto à sua alimentação,


4: Quais são os minerais e vitaminas necessários no tratamento de diabetes? Em que tipo de alimentos eles podem ser encontrados?


R: Os diabéticos devem ser orientados sobre a importância de consumirem quantidades adequadas de vitaminas e minerais provenientes de fontes naturais e também sobre o malefício das megadoses. Alguns pacientes podem ser beneficiados com a prescrição de vitaminas e minerais: vegetarianos, idosos gestantes, lactentes e aqueles em estado crítico. Não existe confirmação dos benefícios da terapia antioxidante,na prevenção do Diabetes ou suas complicações. Alguns estudos verificaram que diabéticos, em comparação com a população em geral, apresentavam menor nível plasmático de vitamina C e que a elevação (através de vegetais/frutas naturais) implicava em menor risco de hiperglicemia prevalente. Deficiências de certos minerais como potássio, magnésio e, provavelmente zinco e cromo, podem agravar a intolerância aos carboidratos,
. Em suma, não existe um claro beneficio da suplementação de vitaminas e minerais em pacientes diabéticos. Uma dieta equilibrada e balanceada, com frutas, verduras e legumes, as principais fontes de vitaminas e minerais, é capaz de suprir as necessidades destes nutrientes em pacientes diabéticos


5: A dieta para diabéticos é a mesma na fase adulta e na infância?


R; As recomendações para uma dieta saudável valem tanto para diabéticos na infância como na fase adulta. Entretanto, deve-se considerar também as características de cada fase, que podem alterar as necessidades de nutrientes.  Na infância, as quantidades de energia e de nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento normais são diferentes das de um adulto e isto deve ser considerado. Além disso, as crianças ou adolescentes com diagnóstico de diabetes recente, frequentemente apresentam perda de peso e fome acentuadas, necessitando alteração do planejamento alimentar em aproximadamente 1-1,5 meses de tratamento. A altura e o peso devem ser anotados em gráficos de crescimento, a cada 3 a 6 meses, ajustando as necessidades calóricas neste período. O plano alimentar da criança deve ter 3 refeições principais com 2 a 3 lanches, dependendo do intervalo de tempo entre as refeições e o nível e tipo de atividade física. O objetivo do lanche é prevenir as hipoglicemias entre as refeições.
Por outro lado, na fase adulta, é comum a presença de doenças associadas (hipertensão, dislipidemias, etc.) que aumentam o risco de complicações cardiovasculares. Assim, é importante evitar o consumo de alimentos ricos em gordura saturada, trans, colesterol e sódio, como: frituras, carnes gordurosas, laticínios integrais e produtos industrializados (bolacha, salgadinho de pacote, chocolate, etc.).


6: Apenas os hábitos alimentares devem ser alterados no tratamento de diabetes ou são necessários medicamentos? Em quais casos e que tipo de droga?


R: A necessidade de medicamentos deve ser avaliada individualmente por um médico. Em alguns casos, dieta e atividade física podem controlar o diabetes, em outros, pode ser necessária também a utilização de hipoglicemiantes orais e/ou insulina.


7: A atividade física é um fator importante nesse tipo tratamento? Todas as atividades físicas são indicadas ou existem algumas específicas?


R: Sim. A atividade física é fundamental para o sucesso no tratamento, pois estimula a captação de glicose pelos músculos, o que ajuda a controlar a glicemia, e traz outros benefícios para a saúde. Qualquer tipo de atividade física ajuda no tratamento de diabetes, cada qual com seus benefícios. A atividade física aeróbia (caminhar, dançar, correr, pedalar, entre outros) melhora a capacidade cardiorespiratória, o que ajuda a prevenir complicações cardiovasculares e auxilia na perda de peso, quando necessário. É recomendado fazer cerca de 150 minutos por semana de caminhada, de preferência de forma contínua.

Já a atividade física anaeróbia (treinamento resistido) pode aumentar a massa muscular, o que melhora a captação de glicose do sangue para as células e, portanto, o paciente pode necessitar menos insulina diária. Deve-se  ter o  cuidado de não aplicar insulina no músculo que se quer  “malhar” por ex.: se for trabalhar o braço, aplicar insulina na barriga.

< Anterior

 

Copyright 2000 - 2007 Mambo Foundation. All rights reserved.
Mambo is Free Software released under the GNU/GPL License.

Endereço:
Av. Santo Amaro, Nº 5.830 - São Paulo -SP
Tel/Fax: 5183-3030 ou 5182-3838 Email: clinicaq@clinicaq.com.br
Convênio com estacionamento: Av. Santo Amaro 5.762