Whats: (11) 9.6913-1889

February 19, 2018

November 13, 2017

November 13, 2017

Please reload

Posts Recentes

Consulte um profissional competente

Antes de pensar em fazer alguma dieta, ou em tomar alguma atitude com a finalidade de emagrecer ou melhorar sua com...

O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA EMAGRECER COM SAÚDE E DEFINITIVAMENTE

November 13, 2017

1/6
Please reload

Posts Em Destaque

Q! Vc precisa saber sobre ASMA

January 30, 2017

 

Existem mais de 150 milhões de pessoas asmáticas no mundo. No Brasil, cerca de 16

milhões de pessoas tem asma (aproximadamente 10% da população). Os dados são

apavorantes e colocam o Brasil como 8º país no mundo em prevalência de asma.

 

Todo ano ocorrem cerca de 400.000 internações por asma no Brasil, o que a posiciona

como a quarta causa de hospitalizações pelo Sistema Único de Saúde (2,3% do total),

sendo a terceira causa entre crianças e adultos jovens. Além disso, seis pessoas, em

média, morrem diariamente por causa desta doença. Assim, a asma é hoje um dos

principais problemas de saúde pública do Brasil.

 

O que é asma?

 

O vocábulo grego ASTHMA deu origem à palavra ASMA, que significa sufocação, sendo empregada pela primeira vez por Hipócrates. A asma é uma doença respiratória crônica caracterizada pela inflamação dos brônquios.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sua causa não está totalmente esclarecida. Quando o individuo entra em contato com

estímulos como pó, fungos, fumaça ou mesmo a esforço físico, esta inflamação faz com

que os brônquios fiquem hiperativos, tendendo a contrair-se, diminuindo assim o espaço

para a passagem do ar.

Esta doença ocorre em ambos os sexos, em todas as idades, em todos os grupos raciais

e em todos os níveis econômicos.

 

Quais são os sintomas da Asma?

 

A maioria das pessoas apresenta um ou mais dos seguintes sintomas clássicos:

 

 Chiadeira - som sibilante que se escuta especialmente durante a expiração.

Igualmente conhecida por "gatinhos". O chiado ocorre porque o ar tenta passar

com força por um canal muito apertado.

 Tosse - na maioria das vezes tosse seca e irritativa, que muitas vezes aparece ou

se agrava durante a noite e que pode ou não estar acompanhada de alguma

expectoração (catarro). Sendo assim, para realizar um diagnóstico preciso podem

ser necessários exames complementares. Os mais importantes são a espirometria,

que identifica e quantifica a obstrução ao fluxo de ar; radiografia do tórax, além de

testes de sangue e de pele – para verificar se o paciente é alérgico.

 Aperto no peito - sensação como de uma corda apertada à volta do peito. A

opressão no peito pode acontecer apenas quando a pessoa está em movimento.

Como regra, se o doente alérgico ou asmático tem um esporte que de fato aprecia,

a sua prática deverá ser encorajada, pois desde que adequadamente controlado,

poderá fazer qualquer exercício ao mesmo nível do não asmático.

 Dificuldade respiratória - é a sensação de falta de ar (dispnéia) ou de não

conseguir respirar totalmente. Os canais de passagem de ar estão muito

apertados. Para os asmáticos, expirar (colocar o ar para fora) é mais difícil do que

inspirar (para dentro). Isso ocorre porque o ar viciado permanece nos pulmões

provocando sensação de sufoco.

 

Estes sintomas podem surgir quando o doente não cumpre o seu plano de tratamento de

acordo com as instruções do médico (e por vezes mesmo quando cumpre), ou quando

entra em contacto com algum fator desencadeante. Normalmente os sintomas são

exacerbados no período noturno e durante certos tipos de exercícios.

 

 

Qual a idade de aparecimento da asma?

 

Ainda que a asma brônquica seja uma doença diagnosticada mais comumente em

crianças e adolescentes, é possível ocorrer em qualquer idade, simultaneamente ou não

com as alergias das vias aéreas superiores, sendo que na pessoa idosa a tendência é a

cronicidade, ao invés das crises repetitivas da infância.

Muitos estudos indicam que 50% a 80% das crianças asmáticas desenvolvem sintomas

antes do quinto ano de vida.

 

 

Qual a causa da asma?

 

No momento não se conhecem completamente os mecanismos pelos quais um indivíduo

desenvolve o quadro de asma. O que se sabe atualmente é que vários fatores

contribuem para o aparecimento da doença, entre eles está o fator hereditário.

 

 

Fatores de risco e desencadeadores de crises (gatilhos)

 

- Exposições a alérgicos ambientais (poeira doméstica, polens, fungos, descamação de

animais ou secreções como saliva e urina, baratas);

- Fatores genéticos: filho de pais asmáticos tem maior chance de desenvolver a doença;

- Infecções respiratórias virais;

- Exposição à alérgenos ou produtos químicos ocupacionais;

- Mudança de ambiente (nova casa, local de trabalho, etc.);

- Exposição a irritantes, especialmente fumaça de tabaco e odores fortes, poluentes do

ar (ozônio, óxido nitroso, óxido sulfúrico, produtos químicos ocupacionais, vapores,

gases e aerossóis);

- Fatores emocionais: raiva, tristeza, frustação;

- Drogas (ácido acetil salicílico, antiinflamatórios não esteróides e outros );

- Aditivos alimentares (sulfitos);

- Mudanças climáticas, exposição ao ar frio;

- Exercício, choro e excesso de riso;

- Fatores endócrinos (menstruação, gravidez, doenças da tireóide).