Whats: (11) 9.6913-1889

February 19, 2018

November 13, 2017

November 13, 2017

Please reload

Posts Recentes

Consulte um profissional competente

Antes de pensar em fazer alguma dieta, ou em tomar alguma atitude com a finalidade de emagrecer ou melhorar sua com...

O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA EMAGRECER COM SAÚDE E DEFINITIVAMENTE

November 13, 2017

1/6
Please reload

Posts Em Destaque

Q! você precisa saber sobre FÍGADO e HEPATITES VIRAIS

January 30, 2017

O fígado é o segundo maior órgão interno e a maior glândula do corpo, pesando

aproximadamente 1,5kg, porém na mulher é um pouco menor. Está situado no quadrante

superior direito da cavidade abdominal é o órgão no qual os nutrientes absorvidos pelo trato digestivo são processados e guardados para uso por outros órgãos. O fígado também é o responsável pela neutralização e eliminação de algumas substâncias tóxicas, como o álcool. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quais são as funções do fígado?

 

O fígado possui múltiplas funções essenciais para o funcionamento do organismo, tais

como:

 

a) Produzir a bile - A bile é produzida pelo fígado em grande quantidade, de 600ml a 900ml

por dia. Num primeiro momento, ela se concentra na vesícula e depois é mandada para o

intestino, onde funciona como detergente e auxilia na dissolução e aproveitamento das

gorduras. Por isso, quando os canais da bile entopem, o metabolismo das gorduras fica

prejudicado;

 

b) Armazenar glicose – A glicose retirada do bolo alimentar é guardada no fígado sob a

forma de glicogênio, que será posto à disposição do organismo conforme seja necessário.

Nesse caso, as células do fígado funcionam como um reservatório de combustível.

 

Quando o cérebro, o músculo do coração, os músculos esqueléticos ou qualquer outra parte do corpo precisam de energia, a glicose é enviada para a circulação. Se não existisse esse sistema de estocagem, teríamos de comer o tempo todo para garantir o fornecimento de energia. Doenças hepáticas em fase adiantada provocam a perda dessa capacidade e afetam o abastecimento de glicose;

 

c) Produzir proteínas nobres - Entre elas, destaca-se a albumina, uma substância muito

importante para o organismo, porque mantém a água dentro da circulação (propriedade

osmótica ou oncótica). Quando a produção de albumina diminui, a água escapa das veias,

extravasa para os tecidos que estão debaixo da pele e produz inchaço, ou seja, edemas nas pernas, barriga d’água (ascite), etc. A albumina também serve de meio de transporte, na corrente sanguínea, para outras substâncias, como hormônios, pigmentos e drogas.

 

Deve-se, ainda, citar as proteínas ligadas ao processo de coagulação do sangue. Se o

fígado não está trabalhando bem, o nível dessas substâncias baixa e aumenta a

possibilidade de sangramentos consideráveis que podem ser provocados por ferimentos ou ocorrer espontaneamente pelo nariz (epistaxe), pelas gengivas, pela urina ou em menstruações exageradas;

 

d) Desintoxicar o organismo – O fígado tem a capacidade de converter hormônios ou drogas em substâncias não ativas para que o organismo possa excretá-los;

 

e) Sintetizar o colesterol – No fígado, o colesterol é metabolizado e excretado pela bile;

 

f) Filtrar microorganismos - Existe uma ampla rede de defesa imunológica no fígado. Além

das células hepáticas, existem inúmeros “tijolinhos” responsáveis por segurar bactérias ou

diferentes microorganismos que transmitem infecções. Algumas doenças hepáticas, a

cirrose, por exemplo, interferem nesse processo e tornam os indivíduos mais vulneráveis a

infecções;

 

g) Converter amônia em uréia - O fígado possui uma artéria e uma veia de entrada e uma

veia de saída. A veia de entrada recebe o nome curioso de “veia porta” e é responsável por

75% do sangue que chega ao fígado, levando consigo substâncias formidáveis, como as

vitaminas e as proteínas. No entanto, por ela chega também a amônia (produzida no

intestino e derivada principalmente de proteínas animais) para ser transformada em uréia.

 

Se o órgão estiver lesado, a amônia passará direto para a circulação e alcançará o cérebro,

provocando, no início, alterações neuropsíquicas