Whats: (11) 9.6913-1889

February 19, 2018

November 13, 2017

November 13, 2017

Please reload

Posts Recentes

Consulte um profissional competente

Antes de pensar em fazer alguma dieta, ou em tomar alguma atitude com a finalidade de emagrecer ou melhorar sua com...

O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA EMAGRECER COM SAÚDE E DEFINITIVAMENTE

November 13, 2017

1/6
Please reload

Posts Em Destaque

Obesidade e Psicoterapia

October 10, 2017

 

 

A obesidade, por sua diferenciação e etiologia multifatorial, é uma condição que tem merecido cautela e estudos de diferentes áreas de especialidades, particularmente a psiquiatria e a psicologia. Os problemas emocionais são comumente compreendidos como consequências da obesidade, apesar de conflitos e dificuldades psicológicas possam anteceder o desenvolvimento dessa condição. A depressão e a ansiedade são sintomas comuns, e depressão maior pode ser mais frequente nos seriamente obesos. Na terapêutica psicoterápica, a terapia cognitiva vem despontando eficácia por objetivar a organização das reservas para alterações de peso e comportamentos, em princípio, pertinentes ao autocontrole de comportamentos alimentares e contexto situacional mais extenso. Ainda que o tratamento farmacológico da obesidade não deva ser a primeira eleição terapêutica, seu uso está de modo pleno consagrado. Atenção deve ser dada para as drogas verdadeiramente aprovadas.

 

Alimentação: obesidade e emagrecimento

 

Este texto é direcionado para as pessoas que desejam emagrecer, e para as pessoas que conhecem alguém que almeja perder peso.

 

Se você sair indagando para as pessoas quantos quilos querem perder, creio que uma boa parcela terá uma resposta, penso que talvez uma parte mínima das pessoas estejam contente com o próprio peso.

 

Comida é um tema que se refere ao corpo ou à mente?

 

Comer está necessariamente relacionado à manutenção da existência, da saúde. Mas muitas ocasiões comemos além do necessário, compulsivamente, muitas vezes até nos prejudicamos com a obesidade.

 

Fatores psicológicos podem modificar o relacionamento com a nutrição: A ansiedade, culpa ou qualquer alteração emocional pode interferir no relacionamento com a comida.

 

O oposto também pode ser verdadeiro. Quando o corpo não está bem o lado psicológico ao mesmo tempo pode padecer, se você se alimenta mal, de maneira errada, você pode enfraquecer seu organismo, ter problemas com o colesterol, diabetes, obesidade, etc.

 

 O excesso de peso é decorrência de quê? 

 

Pode possuir muitas causas. Como você notará adiante, busquei cobrir a maior parte das probabilidades. Por um lado, você vai descobrir que pode estar comendo mais do que o necessário porque a evolução lhe dotou de sistemas para que a alimento fosse algo tão atraente a ponto de te motivar para comer muito. Isso porque na era primitiva a comida não estava tão disponível como atualmente, não era só abrir a geladeira ou atravessar a rua para alcançar o mercado ou a lanchonete. Na era primitiva o empenho era grande, mas valia a pena porque sem comida a pessoa perecia. O grande problema é que atualmente ninguém necessita de tanto esforço assim para arranjar comida, e o perigo de não ter comida satisfatória também não existe mais como existia para o homem primitivo, mas o apetite, a voracidade por alimentos persiste a mesma porque nosso corpo ainda não se adaptou a essa nova realidade, então você acaba comendo muito mais do que necessita e, engorda.

 

Emagrecer

 

Pode ser importante saber o porquê de você deseja emagrecer. Você espera ser benquisto pelos outros? Não ser reprovado no exame médico de admissão da firma? Aspira arrumar uma namorada?

 

Sem o motivo adequado pode-se prejudicar o processo de perda de peso. Eu creio que conseguir namorado, fazer bonito na balada, ser acolhido no trabalho, agradar o pai podem não ser bons ensejos para emagrecer. Considero simpático que o foco esteja em você mesmo e não nos outros

 

 Afira seu empenho à intenção de emagrecer.

 

Você é do tipo que só se entrega a determinada tarefa se ela for simples, se não der muito trabalho? Ou você consegue se animar por alguma coisa que sabe que vale a pena? Você sabe ponderar quando algum episódio vale o seu esforço? Sabe distinguir depressa o quanto você vai ganhar, e sabe aproveitar isso para te motivar a transpirar um pouco a camisa?

 

Você aspira emagrecer ou acredita que outro o emagreça?

 

Muitas pessoas consideram muito mais confortável engolir um medicamento para emagrecer ou fazer uma cirurgia. Essa é a atitude dos que anseiam ser “emagrecidos” por fatores exteriores. Pode até mesmo dar resultado, mas não vai se sustentar por muito tempo, e a conquista não é sua, então não está nas suas mãos manter o ganho, ou seja, você pode voltar a ganhar peso sem mesmo perceber o porquê. Na realidade com este modo de funcionar você está entregando o seu domínio para além de você, para os outros. Todo mundo que emagreceu deste modo já sabe no que deu. Dali a pouco está novamente na mesma, ou até pior.

 

Ganho secundário

 

Será que tem qualquer benefício em continuar acima do peso? Parece uma questão fora do comum, não? Mas não é não. Muitas vezes no subconsciente tem alguma coisa de bom em ser obeso, como por exemplo o papel de vítima, as outras pessoas ficam com pena de você, e no fundo você gosta disso. Será que a percepção de que tem alguma pessoa “cuidando de você” dando dicas, fazendo comidas exclusivas para você, e assim corroboram o quanto você é terrível, e isso vale tão a pena que te impede de emagrecer. Ou será que ser cheio não está desculpando outras dificuldades, como por exemplo a dificuldade em paquerar, assim você aproveita a desculpa da gordura para não “necessitar” de flertar, afinal, é um excelente motivo para que ninguém se interesse por você. Ou a comida pode estar servindo como o único carinho que você está conseguindo adequar a você mesmo. Sendo assim, está infeliz, come, está inquieto, come, levou repreensão do chefe, come, e aí você pode não desejar abrir mão deste agrado.

 

A comida