Whats: (11) 9.6913-1889

February 19, 2018

November 13, 2017

November 13, 2017

Please reload

Posts Recentes

Consulte um profissional competente

Antes de pensar em fazer alguma dieta, ou em tomar alguma atitude com a finalidade de emagrecer ou melhorar sua com...

O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA EMAGRECER COM SAÚDE E DEFINITIVAMENTE

November 13, 2017

1/6
Please reload

Posts Em Destaque

Os caminhos para envelhecer bem

October 10, 2017

 

No princípio do século 20, na Europa desenvolvida, a expectativa de vida ao nascer andava ao redor dos 40 anos. Naquela época, quem alcançasse essa idade possivelmente estariam se aproximando do fim de suas existências. Agora, aos 40 anos, eles são considerados novos.

A expectativa de vida praticamente duplicou nessas nações no transcorrer do século 20, mas acarretou uma série de problemas socioeconômicos. São muitos os que chegam aos 70, 80 anos com qualidade de vida muito boa, mas aposentados desde os 50 anos, obrigando a Previdência Social a sustenta-lo por um tempo que não havia sido previsto.

Falecer mais tarde criou ainda dificuldades no relacionamento familiar, principalmente no que se refere a como lidar com parentes de idade mais avançada. Hoje em dia, difícil a família que não tem alguma pessoa com 70, 80 anos em condições físicas e mentais nem sempre íntegras.

No entanto, não são poucas as pessoas que envelhecem e chegam aos 80 em plena atividade sem passar pelo processo de decrepitude física e intelectual que tanto nos espanta.

 

 

Atividade física ajuda a impedir problemas no sistema musculoesquelético. O ideal é que ela inicie na infância

 

O estereótipo do idoso repleto de dores no corpo, com limitação de movimentos e vitimado por quedas, remete visivelmente aos problemas ocasionados pela carência de cuidados com o sistema musculoesquelético durante as etapas prévias da vida. Ossos, músculos, articulações, cartilagens, tendões e ligamentos começam a se corroer a partir dos 30 anos de idade. Uma nutrição equilibrada é capital para a boa saúde dessas estruturas. Porém mantê-las em movimento através de atividade física é essencial para adiar a degeneração e amortizar os riscos de osteoartrose e osteoporose, enfermidades cuja incidência se eleva admiravelmente com o envelhecimento.

A osteoartrose é instigada pelo dano das cartilagens, que funcionam como um colchão que evita o fricção entre as terminações ósseas. Com a degeneração natural do envelhecimento, elas tornam-se mais finas e enrijecidas, perdendo a função amortecedora. O contato de osso com osso pode provocar dores e, em determinados casos, deformidades.

Quadris, joelhos e a coluna vertebral são as articulações mais afetadas pela osteoartrose, que tem origem genética, é degenerativa e está presente na metade da população com mais de 60 anos. Não é possível preveni-la, mas mexer as articulações estimula a circulação do líquido sinovial que engraxa as cartilagens, colaborando para adiar a instalação da moléstia.