February 19, 2018

November 13, 2017

November 13, 2017

Please reload

Posts Recentes

Consulte um profissional competente

Antes de pensar em fazer alguma dieta, ou em tomar alguma atitude com a finalidade de emagrecer ou melhorar sua com...

O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA EMAGRECER COM SAÚDE E DEFINITIVAMENTE

November 13, 2017

1/6
Please reload

Posts Em Destaque

Obesidade: Coisas que Você precisa Saber

November 13, 2017

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

- A obesidade é uma doença crônica, que afeta um número alto de pessoas por todo o planeta. Entretanto, a escolha por um hábito alimentar saudável e a prática de exercícios físicos podem colaborar com a prevenção e terapêutica. A obesidade é marcada pelo acúmulo de gordura corporal e pode ocasionar graves problemas de saúde e levar inclusive à óbito. O Brasil apresenta cerca de 18 milhões de pessoas com obesidade. Somando o total de indivíduos acima do peso, o montante chega a 70 milhões, o dobro de há três décadas.
 

- Na maioria das vezes, a obesidade é diagnosticada por meio do cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). Ele é realizado da seguinte forma:

 

IMC = P/h²    onde P = Peso em Kg e h=altura em metros

 

Peso Normal: de 18,5 a 25

 

Sobrepeso: de 25 a 30

 

Obesidade Grau 1: de 30 a 35 

 

Obesidade Grau 2: de 35 a 40

 

Obesidade Grave: >40

 

 

Que a obesidade é uma enfermidade grave que está presente em  grande parte da população do mundo já é de seu conhecimento. Mas estava ciente que existe um tipo de distribuição da gordura corporal que é mais grave?

 

Têm três classificações para a obesidade em relação a distribuição de gordura corporal:

 

1. Obesidade abdominal, superior, central ou andróide

 

É marcada pelo acúmulo de tecido adiposo na metade superior do corpo, principalmente no abdômen. Essa distribuição de gordura, também conhecida como maça, é a mais maléfica a saúde, porque a gordura localizada dessa forma fica mais próxima a órgão vitais, como rins, fígado, pâncreas, afetando seu funcionamento. Os principais riscos associados a ela são: diabetes tipo 2, a doenças cardiovasculares e a doenças vasculares cerebrais.

 

 

2. Obesidade femuroglútea, inferior ou ginóide

 

Neste tipo a gordura se distribui, principalmente, na metade inferior do corpo, particularmente na região glútea e coxas. Os problemas pertinentes a essa obesidade, também conhecida como pêra, são especialmente mecânicos, devido ao impacto a o excesso de gordura causa no caminhar.

 

 

3. Obesidade mista, generalizada, indeterminada ou difusa

 

Distribuição mista, a gordura está localizada nas metades superior e inferior do corpo.

E que como você pode descobrir qual é o seu tipo de obesidade?

 

Para isso você devera fazer a medida da circunferência da cintura (dois dedos acima do umbigo) e a medida da circunferência do quadril (no ponto de maior circunferência). Feito isso divida o valor da cintura pelo quadril em centímetros.

 

Se o resultado for maior ou igual a 0,9 a obesidade será classificada como andróide e se for menor que 0,9 será classificada como ginóide.

 

Independente desse resultado, a circunferência da cintura sozinha já é indicativo do risco metabólico. Veja a tabela abaixo.

 

Lembre-se: a obesidade é um grave problema de saúde, que abre as portas para o aparecimento de diversas outras doenças crônicas não transmissíveis. Portanto, qualquer que seja a forma que a gordura esteja distribuída no seu corpo, o prioritário é eliminá-la.

 

- Existem três tipos de definições quando uma pessoa está acima do peso. O sobrepeso é quando o indivíduo apresenta mais gordura do que o ideal para uma existência saudável. A obesidade se dá quando o acúmulo de gordura é muito acima do normal, podendo causar até problemas graves de saúde. A obesidade mórbida ou doentia é quando o valor do IMC supera 40. Nesse caso, a terapêutica primeira além das mudanças de estilo de vida sempre compreende remédios e até cirurgia bariátrica pode ser indicada.
 

- A obesidade é fator de risco para uma série de doenças. A pessoa que apresenta obesidade tem mais propensão a desenvolver outras doenças como pressão altadoenças cardiovascularesdiabetes tipo 2, além de problemas físicos como artrose, pedra na vesícula, artrite, cansaço, refluxo gastro- esofágico, tumores de intestino e de vesícula.
 

- A obesidade pode, além disso, mexer com fatores psicológicos, acarretando diminuição da autoestima e depressão.
 

- São muitas as causas da obesidade. O excesso de peso pode estar ligado ao patrimônio genético da pessoa, a maus hábitos alimentares ou, por exemplo, a disfunções endócrinas. Por isso, na ocasião de pensar em emagrecer, procure um profissional especializado.
 

- Para a terapêutica da obesidade, médicos podem empregar fatores de risco e outras enfermidades para terem a ciência da importância da situação do paciente. Por exemplo, apnéia do sono, diabetes mellitus tipo 2 e arteriosclerose são enfermidades que indicam a necessidade urgente de tratamento clínico da obesidade.
 

- 11 de outubro é o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade, determinado pela Lei 11.721/2008.  A data havia sido criada, há cerca de 10 anos, pela Federação Latino-Americana de Obesidade, entretanto reconhecida, em 1999, pelo Governo Federal e instituída no Brasil, na época, com o nome de Dia Nacional de Combate à Obesidade.
 

- A prevenção contra a obesidade ocorre pela conscientização da importância de exercícios físicos e da alimentação apropriada. O modo de vida inativo, as refeições com poucos vegetais e frutas, além do excesso de alimentos ricos em gordura e açúcar precipitam o aumento do número pessoas obesas, em todas as idades, até mesmo crianças.
 

- Está demonstrado que relacionamentos sociais e romances são menos frequentes entre obesos, já que eles saem menos de casa devido a diminuição da autoestima. Agora, uma vez havendo o relacionamento, a obesidade pode interferir no relacionamento sexual. Ela está relacionada à diminuição da testosterona, o que pode acarretar a redução de libido e a problemas de ereção nos homens. Já nas mulheres, existe uma redução dos níveis de hormônio feminino e aumento no nível dos masculinizantes. As mulheres têm aumento de pêlos, irregularidade menstrual e diminuição da fertilidade. As chances de todos esses problemas se resolverem, com uma perda de peso na ordem de 10%, são bem grandes.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Whats: (11) 9.6913-1889